Assuntos Inteligentes
  

A CIÊNCIA SE DOBRA ÀS PROFECIAS - Final

O campo geomagnético da Terra está sofrendo grandes mudanças, enfraquecendo. Há 2 mil anos, o campo media cerca de 4 gauss. Quase 500 anos depois, o campo geomagnético terrestre começou a cair, numa taxa muito mais acelerada. O campo agora mede somente 0,4 gauss. Nos últimos 30 anos, esse campo não tem só caído, mas está se tornando irregular. Os pássaros, que se utilizam dele para migrar, estão agora indo parar em outros locais. Ocorre o mesmo com os golfinhos e as baleias. Eles usam as linhas geomagnéticas para migrar. Estas, que estavam estacionadas por milhares de anos, agora mudaram. Algumas dessas linhas movem-se para áreas no interior dos continentes e essa é a razão pela qual muitas baleias e golfinhos têm encalhado nas praias. As linhas geomagnéticas, que sempre guiaram sua migração, agora as levam para a terra.
Nas últimas duas semanas de setembro de 1994, o mundo experimentou uma oscilação do campo geomagnético. Pilotos de todo o mundo foram forçados a aterrissar manualmente seus aviões porque o campo geomagnético terrestre começou a se mover. No início de 1990 ele parecia voltar ao normal.

De junho a outubro e parte de novembro de 1996, tivemos uma anomalia muito maior e mais longa. Especialmente durante julho e agosto daquele ano. O Pólo Sul estava realmente se movendo. Se você tivesse uma bússola preparada, veria que o Pólo estava se movendo em base diária e às vezes horária. Ele estava se movendo de 2,5 a 17 graus em um único dia. Em um ponto, de acordo com Greg Braden, o Pólo Sul do planeta realmente moveu-se para longe por poucas horas. Essa informação pode ser facilmente checada. Dê uma olhada em qualquer mapa aeronáutico do mundo, em qualquer grande aeroporto, antes de junho de 1996. Depois, pegue um novo (eles tiveram de refazer os mapas para poder aterrissar seus aviões) e compare-os. Você verá que a correção de erro para o Pólo Norte magnético mudou, o que quer dizer que o Pólo Sul moveu-se. O Chicago O’Hara International Airport mudou de 1,5 a 2 graus.

Então, tudo ficou quieto até recentemente. Houve alguns momentos de oscilação, mas não muitos. No último bimestre, houve novo movimento. Desta vez, com grandes conseqüências em potencial. Um cientista alemão, preocupado o bastante para me dar certas informações, mesmo que isso fosse sinônimo de sua perda de liberdade, revelou que estava trabalhando para o governo russo, e disse que mandaria a prova do que estava para revelar informações estarrecedoras sobre as mudanças no campo magnético da Terra. Ele disse duas coisas:
Primeiro, que a freqüência de Ressonância Schumann da Terra está, na verdade, mudando. De acordo com os satélites russos, o SRF está aumentando dramaticamente. Disso, alertou o geologista Greg Braden. A freqüência que normalmente está em cerca de 7,8 hertz aumentou para 11,2 hertz. Depois, repentinamente, a Universidade da Califórnia, em Berkeley, anunciou que não havia mudanças. Isso não faz sentido. De acordo com a Rússia, ela está agora a cerca de 13 hertz e ainda subindo.

A segunda coisa que esta fonte alemã afirmou é extremamente importante. Disse que a Alemanha e a Rússia têm documentado que o campo geomagnético terrestre está neste momento caindo para zero. Revelou que os modelos dos computadores russos mostraram isso cerca de 10 dias antes de termos ultrapassado o ponto onde ele poderia ser revertido, querendo dizer que sempre que um sistema chega a esse estágio, ele irá para zero. Depois, foi dito que o governo russo agora acredita que o campo geomagnético terrestre cairá para zero num futuro próximo. Possivelmente não tão próximo quanto o fim de julho de 1998, mas, definitivamente, antes do fim do ano.
Esta fonte alemã disse que o programa espacial russo tem feito uma extensa pesquisa sobre o assunto. Ela afirmou que quando os russos levaram pessoas para fora do campo geomagnético terrestre, observaram reações humanas específicas. Primeiro, os astronautas ficaram agitados. Depois, ficaram agressivos com outros seres humanos e completamente insanos, o que descobriram ser incurável. Eles analisaram e descobriram que o que aconteceu no cérebro humano foi conseqüência de quando o campo caiu para zero. Os alemães criaram então um cinto eletrônico para ser usado, que criará um balanço pessoal do SRF e do campo geomagnético em 0,4 gauss em volta do corpo humano. Isso está sendo dado para pessoas-chave para manter a governabilidade da sociedade, caso isso realmente aconteça.

Além disso, surgiram três outras descobertas humanas que também apontam indiretamente ser esta a época do “Período de Transferência” (da quinta par a sexta Raça-Raiz):
a. As descobertas que estão sendo feitas no Egito de uma cidade subterrânea a 6 milhas de profundidade de 1,5 por 8 milhas de extensão.
b. A descoberta de um código secreto na Bíblia, por meio de um avançado programa de computador, que não deveria ser aberto “antes do fim dos tempos”. Isso é relatado no livro O Código da Bíblia (The Bible Code). Isso é muito importante.

c. Em 23 de maio de 1998, a descoberta de possíveis restos da Atlântida próximo à costa de Bimini foi anunciada por Aaron Du Val. Eles acharam estas ruínas da Atlântida há três anos e meio, mas negaram-se a liberar essa informação até que tivessem provas científicas, sem qualquer dúvida, o fizeram agora. É outro grande sinal. Edgar Cayce, o “profeta adormecido”, predisse há cerca de 60 anos que o Pólo terrestre “mudaria no inverno de 1998”. O tempo parece estar certo. Isso foi considerado impossível na época da predição de Cayce. Eles acreditavam que tal evento só aconteceria após milhões de anos. Agora, sabem que isso acontece sempre. De fato, aconteceu da última vez há 13 mil anos e, antes disso, somente há 26 mil 12 mil anos. De acordo com a Precessão dos Equinócios, estamos no ponto da história que isso pode acontecer, se já não está para acontecer do dia para a noite.

E, finalmente, os índios hopi foram a um talk show na rádio Art Bell e anunciaram que em julho de 1998 a Terra iria saber, com certeza, que alguma coisa muito grande está para ocorrer, e que de outubro a dezembro de 1998 nós poderíamos passar para o quinto mundo dos povos nativos americanos. Isso é o mesmo que a 5ª dimensão, as influências do Plano Astral. Os hopi contam o vácuo como um mundo, nós o contamos como zero. Outro grande sinal.

Agora, vocês já viram as evidências. Isso pode ou não acontecer agora. Mas acreditamos que acontecerá algum dia, em um futuro próximo. Até a Bíblia fala sobre isso. Então, o que podemos fazer? Essa é a questão!

Primeiramente, será praticamente impossível viver em uma cidade grande durante essa época. Toda a eletricidade, combustível e água serão desligados. Os EUA, por exemplo, têm só 30 dias de suprimentos, então após um mês ou menos, as pessoas ficarão sem comida e irão fazer qualquer coisa para consegui-la. E nós, aqui do Brasil, como estamos nos prevenindo? Viajar será impossível. Automóveis quebrados bloquearão a maioria das estradas. Todas as linhas aéreas, ônibus, trens etc., não estarão funcionando. Onde quer que você esteja, será onde você vai ficar. E se isso não é o suficiente, a maior parte das pessoas ficará com fome, com raiva... e perigosa.

À primeira idéia, as florestas ou bosques parecem ser o lugar mais seguro para ir, mas torna-se claro pela lógica mínima que esses lugares se tornariam muito perigosos. Todos iriam para a floresta!!! As pessoas estariam em todos os lugares, andando com armas, excitadas e perigosas. Então, vejamos ver as possibilidades.

Pensa-se que a pior coisa que pode acontecer é que você ou um membro de sua família morra, perceba que isso não é um problema. O propósito da vida nesse estágio do crescimento é mover-se conscientemente para o próximo mundo, a quinta dimensão. Existe três modos como isso pode acontecer. Um caminho não é melhor que o outro:


- Morte: No passado, nos períodos lemurianos ou atlantes, se você morresse, você passava para 5ª dimensão (Plano Astral). De lá você poderia, depois de um período de “férias” (por você ter acumulado bastante Dharma), voltar para a Terra para viver de novo, para completar seu propósito na Terra. No entanto, esse ciclo foi possível por longo período de tempo, mas agora isso está mudando. Para a maioria de nós, essa é a nossa última vida (das 108);
- Ressurreição: Se você passa por processos iniciáticos profundos, você reconstrói seu corpo onde bem desejar, seja neste planeta seja em outro mais seguro;
- Abdução: Ser resgatado por viajantes espaciais e seus Ufos a terras mais seguras, até que a situação neste sofrido planeta se estabilize.
No entanto, os gnósticos têm um procedimento que converge todas essas alternativas. Isso é chamado de “Os 3 Fatores de Revolução da Consciência”. Essa Tríplice Chave nos abre as possibilidades de um resgate efetuado por nossa própria Divindade Interior. É Ela, a Divina Sabedoria Interior, que sabe o que é e será melhor para nós nestes terríveis dias que se avizinham!

Ressonância Schumann: A pulsação do Planeta Terra

Já ouviram falar de Ressonância Schumann? Pois bem, são freqüências eletromagnéticas de cerca de 8.0 hz que ficam numa “cavidade” entre a superfície da Terra e a ionosfera, formando um verdadeiro circuito elétrico em volta de todo o planeta. No mesmo período em que começou a tal sensação de “aligeiramento” do tempo, o valor das freqüências de 8,0 hz (curiosamente, a mesma do cérebro humano) passou a subir 2 pontos ou mais nessa escala de freqüência. Os cientistas não sabem as causas da mudança e suas possíveis conseqüências.
Não apenas as pessoas mais idosas, mas também os jovens, têm a nítida sensação de que tudo está se acelerando excessivamente. Ontem foi carnaval, dentro de pouco será Páscoa, mais um pouco, Natal. Esse sentimento é ilusório ou tem base real? Pela Ressonância Schumann procura-se dar uma explicação. O físico alemão W.O. Schumann constatou em 1952 que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que se forma entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100 quilômetros acima de nós. Esse campo possui uma ressonância (dai chamar-se ressonância Schumann), mais ou menos constante, da ordem de 7,83 pulsações por segundo. Funciona como uma espécie de marca-passo, responsável pelo equilíbrio da biosfera, condição comum de todas as formas de vida. Verificou-se também que todos os vertebrados e o nosso cérebro são dotados da mesma freqüência de 7,83 hertz. Empiricamente fez-se a constatação de que não podemos ser saudáveis fora dessa freqüência biológica natural.
Sempre que os astronautas, em razão das viagens espaciais, ficavam fora da ressonância Schumann, adoeciam. Mas submetidos à ação de um simulador Schumann recuperavam o equilíbrio e a saúde. Por milhares de anos as batidas do coração da Terra tinham essa freqüência de pulsações e a vida se desenrolava em relativo equilíbrio ecológico. Ocorre que a partir dos anos 80, e de forma mais acentuada a partir dos anos 90, a freqüência passou de 7,83 para 11 e para 13 hertz por segundo. O coração da Terra disparou. Coincidentemente, desequilíbrios ecológicos se fizeram sentir: perturbações climáticas, maior atividade dos vulcões, crescimento de tensões e conflitos no mundo e aumento geral de comportamentos desviantes nas pessoas, entre outros. Devido à aceleração geral, a jornada de 24 horas, na verdade, é somente de 16 horas. Portanto, a percepção de que tudo está passando rápido demais não é ilusória, mas teria base real nesse transtorno da ressonância Schumann.

Gaia, esse superorganismo vivo que é a Mãe Terra, deverá estar buscando formas de retornar a seu equilíbrio natural. E vai consegui-lo, mas não sabemos a que preço, a ser pago pela biosfera e pelos seres humanos. Aqui abre-se o espaço para grupos esotéricos e outros futuristas projetarem cenários, ora dramáticos, com catástrofes terríveis, ora esperançadores, como a irrupção da quarta dimensão, pela qual todos seremos mais intuitivos, mais espirituais e mais sintonizados com o biorritmo da Terra. Não pretendo reforçar esse tipo de leitura. Apenas enfatizo a tese recorrente entre grandes cosmólogos e biólogos de que a Terra é, efetivamente, um superorganismo vivo, de que Terra e humanidade formamos uma única entidade, como os astronautas testemunham de suas naves espaciais.

Nós, seres humanos, somos Terra que sente, pensa, ama e venera. Porque somos isso, possuímos a mesma natureza bioelétrica e estamos envoltos pelas mesmas ondas ressonantes Schumann. Se quisermos que a Terra reencontre seu equilíbrio, devemos começar por nós mesmos: fazer tudo sem estresse, com mais serenidade, com mais amor, que é uma energia essencialmente harmonizadora. Para isso importa termos coragem de ser anticultura dominante, que nos obriga a ser cada vez mais competitivos e efetivos.

Precisamos respirar juntos com a Terra, para conspirar com ela pela paz.

FONTE:
http://redelatinabrasil.blogspot.com/



Escrito por A.Fonseca às 12:41
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Continuação........

Impacto sobre o planeta
Greg Braden costuma afirmar que essas informações não devem ser usadas com o objetivo de amedrontar as pessoas. Ele acredita que devemos estar preparados para as mudanças planetárias, que irão introduzir uma Nova Era de Luz para o planeta: a nova humanidade viverá além do dinheiro e do tempo, com os conceitos baseados no medo e no egoísmo sendo totalmente dissolvidos. Braden lembra que o Ponto Zero ou a Mudança das Eras vem sendo predito por povos ancestrais há milhares de anos. Têm acontecido ao longo da história do planeta muitas transformações geológicas importantes, incluindo aquelas que ocorrem a cada 13 mil anos, precisamente na metade dos 26 mil anos de Precessão dos Equinócios. O Ponto Zero ou uma alteração dos pólos magnéticos provavelmente acontecerá logo, acredita Braden. Poderia possivelmente sincronizar-se com o biorritmo de 4 ciclos da Terra, que ocorre a cada 20 anos, sempre no dia 12 de agosto. A última ocorrência foi em 2003. Afirma-se que depois do Ponto Zero o sol nascerá no oeste e se porá no leste. Ocorrências passadas, desse mesmo tipo de mudança, foram encontradas em registros ancestrais.

Os reflexos na vida humana
Greg Braden assinala que as mudanças na Terra estarão afetando cada vez mais nossos padrões de sono, relacionamentos, a habilidade de regular o sistema imunológico e a percepção do tempo. Tudo isso pode envolver sintomas como enxaquecas, cansaço, sensações elétricas na coluna, dores no sistema muscular, sinais de gripe e sono intenso. Ele associa uma série de conceitos de ordem esotérica aos processos geológicos e cosmológicos relacionados ao Ponto Zero.
Para Braden, cada ser humano está vivendo um intenso processo de “iniciação”. O tempo parecerá acelerar-se à medida que nos aproximarmos do Ponto Zero, em função do aumento da freqüência vibratória do planeta: 16 horas agora equivaleriam a um dia inteiro, ou seja, 24 horas. Durante o fenômeno da mudança, aponta ele, a maior parte de tecnologia que conhecemos deverá parar de operar. Possíveis exceções poderiam ser em aparelhos com tecnologia baseada no Ponto Zero ou Energia Livre. A inversão causada pelo Ponto Zero provavelmente nos introduzirá à Quarta Dimensão, diz o geólogo, então tudo o que pensarmos ou desejarmos vai se manifestar rapidamente. Isso inclui pensamentos e sentimentos diversos inconscientes. Daí que a “intenção” passará a representar um papel de suma importância na vida humana.

Um novo DNA
Para Braden, nosso corpo físico vem mudando à medida que nos aproximamos do Ponto Zero. Nosso DNA estaria sendo ampliado para 12 fitas em sua hélice, ao mesmo tempo em que um novo corpo de luz começaria a ser criado para os que realizassem um “Trabalho Interno adequado”. Em conseqüência disso, nos tornaríamos mais intuitivos e com maiores habilidades curativas. Ele afirma também que todas as doenças dos anos 90, incluindo a Aids, que são kármicas, desaparecerão. Nossos olhos ficariam como os do gato, para se ajustarem à nova atmosfera e nível de luz. E todas as crianças nascidas depois de 1998 provavelmente terão capacidades telepáticas. Segundo afirmações do VM Samael Aun Weor, fundador das instituições gnósticas, a passagem de todo o Sistema Solar e da Terra em particular afetaria toda a fauna e a flora, revolucionando as cadeiras de Química, Física e Biologia. Isso inclui também as ciências relacionadas ao ser humano.
O Calendário Maia, destaca Braden, predisse todas as mudanças que estão ocorrendo agora. Os seus textos afirmam que estamos indo além da tecnologia e voltando aos ciclos naturais: os da Terra e os do Universo. (Por volta de 2045 estaríamos então entrando mais aceleradamente na Quarta Dimensão, processo que se iniciou no exato momento em que Jesus estava crucificado, e que deverá ocorrer no próprio Ponto Zero.)
Acredite ou não, a Terra comporta-se como um enorme circuito elétrico. É verdade que a atmosfera é um condutor bastante fraco, e se não houvessem fontes de carga, toda a carga elétrica terrestre se disseminaria em cerca de 10 minutos. Existe uma “cavidade” definida pela superfície do planeta e o limite interior da ionosfera 55 quilômetros acima. Em qualquer momento dado, a carga presente nessa cavidade é de 500 mil Coulumbs. Existe uma corrente de fluxo entre o chão e a ionosfera de 10 a 12 ampères por metro quadrado, a resistência da atmosfera é de 200 ohms e a tensão é de 200 mil volts.
Aproximadamente mil tempestades luminosas acontecem a todo momento no mundo. Cada uma produz de 0,5 a 1 ampère, e elas, juntas, contribuem para a medida total do fluxo da corrente na “cavidade eletromagnética” da Terra.
As Ressonâncias de Schumann são ondas eletromagnéticas quase estáticas que existem nessa cavidade. Como ondas de uma mola, elas não estão presentes o tempo inteiro, mas sim têm de ser estimuladas para ser observadas. Elas não são causadas por nada que acontece no interior da Terra, sua crosta ou seu núcleo.
Parecem estar relacionadas à atividade elétrica na atmosfera, particularmente em períodos de intensa atividade luminosa. Elas ocorrem em diversas freqüências entre 6 e 50 hz; especificamente 7, 8, 14, 20, 26, 33, 39 e 45 hertz, com uma variação diária de cerca de 0,5 hz.



Escrito por A.Fonseca às 12:36
[] [envie esta mensagem] []


 
  

A Ciência se dobra às Profecias

Este texto é baseado nas informações que enfoca o trabalho do geólogo norte-americano Greg Braden, maior estudioso do fenômeno. Braden trabalha a partir da interface ciência-esoterismo e é autor do livro Awakening to Zero Point (Despertando para o Ponto Zero) e de um vídeo de quatro horas sobre o fenômeno e suas possíveis conseqüências para a humanidade.

GREG BRADEN está constantemente viajando pelos Estados Unidos e marcando presença na mídia demonstrando com provas científicas que a Terra estará passando pelo Cinturão de Fótons e que há uma desaceleração na rotação do planeta. Ao mesmo tempo, ocorre um aumento na freqüência ressonante da Terra (a chamada Ressonância Schumann; sobre este tema da Ressonância, leia mais ao final deste artigo).


Quando a Terra diminuir ao máximo a sua rotação e a freqüência ressonante alcançar o índice de 13 hz, estaremos no que Braden chama de Ponto Zero do campo magnético. A Terra ficará como se estivesse parada e, após dois ou três dias, recomeçará a girar só que na direção oposta. Isso poderá produzir uma total reversão nos campos magnéticos terrestres.

Freqüência de base crescente

A freqüência de base da Terra, ou “pulsação” (a Ressonância Schumann), está aumentando drasticamente. Embora varie entre regiões geográficas, durante décadas a média foi de 7 a 8 ciclos por segundo. Essa medida já foi considerada uma constante. Comunicações globais militares foram desenvolvidas a partir do valor dessa freqüência. Recentes relatórios estabeleceram a taxa num índice superior a 11 ciclos. A ciência não sabe por que isso acontece - nem o que fazer com tal situação. Greg Braden encontrou dados coletados por pesquisadores noruegueses e russos sobre o assunto - que, por sinal, não é amplamente tratado nos Estados Unidos. A única referência à Ressonância Shumann (RS) encontrada na Biblioteca de Seattle está relacionada à meteorologia: a ciência reconhece a RS como um sensível indicador de variações de temperatura e condições amplas de clima. Braden acredita que a RS flutuante pode ser fator importante no desencadeamento das severas tempestades e enchentes dos últimos anos.

Campo magnético decrescente
Enquanto a taxa de “pulsação” está crescendo, seu campo de força magnético está declinando. De acordo com professor Banerjee, da Universidade do Novo México (EUA), o campo reduziu sua intensidade à metade, nos últimos 4 mil anos.
Como um dos fenômenos que costuma preceder a inversão do magnetismo polar é a redução desse campo de força, ele acredita que outra inversão deve estar acontecendo. Braden afirma, em função disso, que os registros geológicos da Terra que indicam inversões magnéticas também assinalam mudanças cíclicas ocorridas anteriormente.
E, considerando a enorme escala de tempo representada por todo o processo, devem ter ocorrido muito poucas dessas mudanças ao longo da história do planeta.



Escrito por A.Fonseca às 12:31
[] [envie esta mensagem] []


 
  

HOJE! NASCEU O BRASIL.

(22 de abril)

Por: Adanilton Fonseca Santos(*)

 

Impressionante, mas ninguém parece lembrar-se que hoje é meu aniversario. Sou um jovem Senhor de 500 e poucos anos, tenho no meu corpo marcas da minha idade. Sou senhor porque estou acima de muitas nações, sou tropical; não tenho, nem muito calor, nem muito frio, mas o suficiente para alimentar as necessidades dos meus 8.511.963km2.

Olha as minhas matas por incrível que pareçam ainda são majestosas, ali eu tenho muitas nascentes, ah! Quanta água potável ainda me resta? Bastante para meu povo. Mas tenham cuidado com as minhas veias, elas estão maltratadas, sujas, esquecidas. Eu vou buscar uma solução; tenho no meu peito um montão de gente que pensa, pensa muito, mas de vez em quando, pensam que eu sou inesgotável, não sou não.  Aqui eu tenho guardado um segredo que o mundo quer! É o segredo de ser brasileiro.

Ser brasileiro é ser forte. Povo valente, persistente, verdadeiro, é um povo sofredor, mas não abre da labuta, não tem chuva, não tem sol, não tem dor, mas tem suor. È povo sem igual, um dia muito alegria, no outro, melancolia e outra vez alegria. Este povo me faz crescer e eu vou indo, todo dia cresço mais e o brasileiro vai comigo. Êta povo camarada, aceita todo tipo de gente, pode falar embolado é recebido como menino. Olha, eu tenho gente de tudo quanto é lugar, eles vêem e não voltam mais, aprendem a ser brasileiro, bebem da mesma água e se ajunta por aqui. É japonês, Frances, inglês, americano, tailandês, chinês, português, italiano, espanhol, etc., olha é gente que não acaba mais.

Olha meu nome nasceu de uma arvore linda, frondosa, majestosa, soberana. Mas as minhas cidades são enfeitadas sem a homenagem que eu mereço, poucas ruas com a planta que deu origem ao meu nome. Não sei quem teve a idéia de plantar uma tal de “ficus”, até o nome é pobre. Ela estraga todo meu solo, tem raízes fofoqueiras, vive procurando água onde não deve, é tremenda encrenqueira. Todas as ruas das minhas cidades deveriam ser cobertas com a planta verdadeira: PAU BRASIL.

Prestem atenção! Estão furando muito meu subsolo, pareço-me com um “queijo suíço”, tudo atrás das minhas riquezas, ate meus mares são perfurados por conta da busca pela auto-suficiência brasileira. Não sou de reclamar, mas ai já é demais, todo mundo quer minerais, sem preservar minha gente. Olha, eu tenho tudo: ouro, prata, diamantes, manganês, ferro, chumbo, cobre, etc, mas não podem abusar, tem que saber extrair e ao mesmo tempo preservar. Se eu estou dando riquezas, quero pelo menos me alimentar. Recuperem meus rios, minhas fontes e mananciais, não deixe só deserto pra quem ficou atrás.

Agora minha preocupação; meus gestores, defensores, protetores, aqueles que fazem as leis, vixe! é uma vergonha. Ministro de Supremo bater boca nos jornais e o pior com o seu “ic” Superior, também a coisa ta feia, toda hora tem “habeas corpus” para ricos, e pobres fica na cadeia. O outro Corregedor da Câmara foi pra Paris passear com a esposa com o dinheiro do povo. Tenham cuidado comigo, eu tenho uma parceira que ainda é muito jovem, mas ela veio pra ficar e cuidar dos meus filhos que queriam liberdade, é a nossa queridíssima DEMOCRACIA, volto a alertar; ela ainda é tão jovem necessita de cuidados e de muita proteção. Eu sou um jovem e vigoroso senhor, mas tenho muitas preocupações, vou falar para vocês, eu quase que não durmo, nestes 500 e poucos anos, dormi alguns segundos, estou sempre de prontidão, sabem por quê? Tenho meus filhos necessitados, aqueles que não têm condições. São mais de 30 milhões, ainda não têm; casa, comida, educação e são alvo fácil para o joguete e a corrupção. Estes, é minha maior preocupação, por isso durmo pouco para lhes dar proteção.

Ah! Hoje é meu aniversario, quero muita alegria, quero meu povo feliz. Minha amiga democracia veio-me fazer festa e me contar com alegria; “Os ventos estão mudando, falam de um Brasil verdadeiro, onde o pobre vai ter casa e poder pagar com seu dinheiro, falam também que podemos falar o que pensamos, não temos mais coronéis, ah! E os “vendedores”, aqueles! Que querem voltar, o povo não vai deixar”.  Vou dormir, estou mais calmo, mais tranqüilo, vejo que apesar dos pesares o melhor mesmo é ser BRASILEIRO.

 

(*) Brasileiro.



Escrito por A.Fonseca às 21:28
[] [envie esta mensagem] []


 
   O BRASIL É A BOLA DA VEZ

Quarta-Feira, 12 de maio de 2010
Aumenta interesse dos países do G-7 em investir no Brasil

"O Brasil é a bola da vez", afirma a maioria dos economistas, tanto no Brasil como em outros países. Principalmente neste período "pós-crise", o Brasil tem despertado o interesse de países desenvolvidos, como é caso do grupo formado pelas sete maiores economias do mundo, o chamado G-7. Nos últimos meses, Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão, que juntos representam 35% do Produto Interno Bruto (PIB) global, têm demonstrado a intenção em elevar as exportações, estimular associações com empresas brasileiras e investir no Brasil.

Apesar dos investimentos estrangeiros diretos (IED) ao Brasil terem caído, de acordo com último balanço divulgado pelo Banco Central (BC), o cenário pode ser alterado com o interesse crescente do G-7 pelo País.

Em março, o IED somou ingressos líquidos de US$ 2,1 bilhões, 42,73% inferior ao registrado no mesmo mês no ano passado (US$ 3,7 bilhões). No acumulado deste ano (janeiro a março), o ingresso de IED fechou a US$ 5,8 bilhões, enquanto em 2009, esses investimentos ficaram em US$ 6,7 bilhões. Por outro lado, entre os países do G-7, o que mais se destacou em investimentos diretos ao Brasil foram os Estados Unidos, cujo registro em março foi de US$ 443 milhões, contra US$ 309 milhões registrados no mesmo mês em 2009, o que representa 21,7% do total de ingressos de investimentos no Brasil no período. No acumulado de 2010, os investimentos com origem naquele país fecharam em US$ 1,276 bilhão, alta de 54,67% frente ao verificado de janeiro a março do ano passado (US$ 825 milhões).

Outro destaque foi a França, que saltou de US$ 8 milhões em março de 2009 para US$ 263 milhões no terceiro mês deste ano (igual a 6,7% do total de investimentos estrangeiros ao Brasil). Desta forma, no acumulado deste ano, os investimentos daquele país passaram de US$ 225 milhões para US$ 392 milhões, entre o ano passado e este ano.

Sobre o Reino Unido e a Itália também houve aumentos expressivos de ingressos de IED, mas em menor quantidade. Para o primeiro, o relatório do BC informou avanços de 70% para os ingressos registrados de janeiro a março (de US$ 70 milhões para US$ 249 milhões). No caso da Itália, os envios apontaram crescimento de 37,21% (de US$ 43 milhões para US$ 59 milhões, cuja participação é de 1% no total de IED) do acumulado de 2009 para mesmo período de 2010.

Do lado oposto, a maior queda foi a da Alemanha, passando de US$ 1,7 bilhão, em março de 2009, para US$ 15 milhões, no terceiro mês deste ano, cuja variação de um primeiro trimestre para outro caiu 97,55% (0,8% do total de IED ao Brasil). O Canadá passou de envios de US$ 112 milhões, de março de 2009, para US$ 32 milhões, no mesmo mês de 2010, resultando em queda de 38,98% na comparação dos acumulados (US$ 118 milhões para US$ 72 milhões, 1,2% do total de IED). E o Japão mandou 87,32% a menos na comparação de março de 2009, passando de US$ 71 milhões para US$ 9 milhões em investimentos. No acumulado até março, foram enviados 45,74% menos investimentos, do primeiro trimestre de 2009 para o período neste ano (1,7% do total de IED ao País).

Tendência

Prova da motivação do G-7 pelo Brasil é que os países ampliaram o número de diplomatas e de especialistas em comércio em suas embaixadas no Brasil e costumam, frequentemente, divulgar intenções de expandir as relações comerciais com o País, além de criarem setores de ciência e inovação, como fez o Reino Unido.

O economista e professor de MBA da Brazilian Business School (BSB), Ricardo Torres, acredita que cada vez mais o Brasil vai atrair capital externo desses países ricos. "O Brasil se tornou um porto seguro para investimentos, para captação de recursos com alto potencial de retorno", entende. Segundo ele, o que pode atrapalhar o interesse do G-7 é que a grande parte dessas economias está sofrendo com a crise na Europa, mesmo assim "vai postergar planos e não eliminá-los".

"A crise europeia diminuiu a atração de investimentos no Brasil, mas vai ocorrer uma retomada com os aportes concedidos", diz o professor do mestrado de Gestão Internacional da ESPM, Frederico Turolla.

"Somente neste ano, recebemos mais de 30 solicitações de análise de potencial de mercado para os segmentos de turismo, financeiro, construção civil, lazer, infraestrutura e transporte, com um certo foco para as oportunidades que os eventos esportivos de 2014 e 2016 proporcionarão", comenta o diretor-geral da SSK Analises Mercadológicas, Gerson Christensen. (Fonte)

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística
  


Escrito por A.Fonseca às 11:27
[] [envie esta mensagem] []


 
  
Quarta-Feira, 12 de maio de 2010
Trem-bala deve contar com financiamento do BNDES

O projeto do trem-bala, que irá ligar o Rio de Janeiro a São Paulo, num investimento avaliado em R$ 30 bilhões, deve contar com condições especiais de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), à semelhança do que ocorreu com o projeto da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). A perspectiva de mudanças nas condições de financiamento, que reduzem o custo da obra, reacenderam o interesse de grupos nacionais e estrangeiros. A Invepar, holding que reúne os fundos de pensão Previ (Banco do Brasil), Funcef (Caixa Econômica Federal), Petros (Petrobras) e a construtora OAS, desde o mês passado retomou negociações para a formação de um consórcio para disputar a obra.

Na semana passada, representantes da holding estiveram na Coreia; na semana que vem irão ao Japão e já preparam um encontro com empresas chinesas, revela o diretor de participações da Previ, Joilson Ferreira. "Todos estão buscando novos projetos e financiamento com taxa adequada, que atenda a essa condição de investimento estruturante, portanto longo. Percebemos que há uma discussão também (no BNDES e no governo) sobre a mitigação do risco de demanda. Estávamos olhando o projeto antes meio na lateral. A novidade agora é que a Invepar está, mais do que no passado, interessada no projeto", disse Joilson.

A Invepar, uma companhia fechada, sem negociação em bolsa de valores, é o veículo que reúne participações dos fundos de pensão e da OAS em transporte e infraestrutura. A holding administra, no Rio, a Linha Amarela e Metrô; em São Paulo, Cart (Corredor Raposo Tavares), e na Bahia a CLN (estrada que liga Salvador a Sergipe) e BA-093 (rodovia na região metropolitana de Salvador).

"Fomos à Coreia na semana passada conhecer o projeto deles. Na próxima semana iremos ao Japão, a convite da Mitsui. Estamos olhando como investidores e como participantes de consórcios. É um investimento muito grande. É muito dinheiro para um investidor só. Temos a vantagem de ter o Metrô do Rio e de ter executivos que conhecem este tipo de operação", diz o diretor da Previ.

Os fundos de pensão pretendem conversar com todos os consórcios e "assinar acordo com quem nos apresentar maior segurança em todos os aspectos". Ferreira lembra da licitação de Belo Monte, na qual a Previ participou indiretamente, por meio das empresas controladas Vale e Neoenergia, comentando que também naquela ocasião o projeto parecia de difícil viabilidade. Intervenções do governo, facilitando o financiamento e a aquisição de equipamentos, além de mudanças no projeto, permitiram que dois grupos disputassem a obra, vencida pelo consórcio concorrente ao da Previ.

Para o trem-bala está havendo o mesmo esforço para tornar o investimento viável, principalmente com excepcionalidade de financiamento. "A questão é prazo e porcentual. Isso é algo que se pode fazer. E percebemos que há um empenho grande dos técnicos (do BNDES)", afirmou. Apesar do otimismo, ele não arrisca um palpite sobre a conclusão da obra a tempo da realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016. "Não consigo dizer isso hoje", afirmou.

O executivo lembra que havia muitas dúvidas em relação à obra do trem-bala, especialmente em relação ao custo, questões ambientais, traçado, estações que seriam feitas ou não, e investimento público. "Faz uma diferença enorme uma estação a mais ou a menos no projeto. A Invepar nunca deixou de olhar, mas agora tem mais interesse." (Fonte)



Escrito por A.Fonseca às 11:22
[] [envie esta mensagem] []


 
   ECONOMIA

Recuperação da AL e Caribe é rápida, mas desigual, diz FMI

Da equipe do DiárioNet

04/05/2010

A recuperação na América Latina e no Caribe avança com mais rapidez do que se esperava, mas em ritmos diferentes em cada país, de acordo com o relatório lançado hoje em Montevidéu, pelo Fundo Monetário Internacional. O crescimento se acelera na região, impulsionado pela forte recuperação do consumo e das condições externas. O FMI projeta crescimento de 4% para o PIB regional, após a queda de 1,8% em 2009, mas com disparidades marcantes.
 
Segundo o documento divulgado hoje, o diretor do Departamento do Hemisfério Ocidental do FMI, Nicolas Eyzaguirre, disse que “a recuperação provavelmente será mais vigorosa nos países que mantêm fortes vínculos com os mercados financeiros globais, amparados por amplo acesso a financiamento externo e altos preços de suas commodities”. Na outra ponta, economias menores terão crescimento lento e algumas chegarão a sofrer contração, prevê.

O relatório divide os países em quatro grupos: 1) exportadores de commodities, com pleno acesso aos mercados financeiros globais (Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru); 2) outros exportadores de commodities; 3) importadores de commodities com forte dependência do turismo estrangeiro (países do Caribe); e 4) importadores de commodities que dependem de remessas de trabalhadores no exterior (como muitos na América Central).

Sempre de acordo com o texto divulgado hoje, no primeiro grupo, o desafio é identificar a melhor forma de administrar o reaquecimento da economia em uma conjuntura externa muito favorável. “Com a retomada da atividade econômica e a redução dos hiatos de inflação e de produção, será preciso abandonar gradualmente as políticas de estímulo macroeconômico, começando no lado fiscal, sobretudo onde a demanda privada esteja em franca expansão.”

Em outros países exportadores de mercadorias, um dos principais desafios será romper os antigos padrões de políticas fiscais procíclicas, à medida que a alta dos preços internacionais das commodities provoque um aumento da receita pública. Em países importadores de commodities, o espaço para o estímulo macroeconômico está quase esgotado, e seria prudente preservar a margem de manobra restante e reconstituí-la, se possível, para prevenir-se de eventuais riscos.

Nos países que dependem do turismo, onde a atividade foi prejudicada pela fragilidade das condições de emprego nas economias avançadas, a política econômica deve concentrar-se em aliviar o sofrimento dos pobres e preservar a estabilidade macroeconômica.
 
Quanto aos Estados Unidos e Canadá, onde a recuperação está em curso, o foco no curto prazo é a transição para estratégias de saída de políticas adotadas para enfrentar a crise. O estímulo tem-se mantido na medida correta para apoiar o crescimento. Nos Estados Unidos, porém, a atenção terá que começar a se deslocar em breve para o controle dos desequilíbrios fiscais. Em particular, será essencial definir uma forte estratégia de consolidação



Escrito por A.Fonseca às 03:43
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Senado tem até 1º de junho para votar aumento de aposentados

Da equipe do DiárioNet

05/05/2010

Depois de aprovada pela Câmara nesta terça-feira, a Medida Provisória nº 475/09 volta ao Senado. O texto aprovado reajusta os benefícios dos aposentados que ganham acima do salário mínimo em 7,72% a partir de 1º de janeiro e, por meio de emenda, acaba com o fator previdenciário. 

O prazo de validade da MP é 1º de junho. Se até lá não for votada pelo Senado (e novamente pela Câmara, em caso de nova alteração feita pelo relator designado pela presidência da casa), a medida provisória perderá efeito.  Nesse caso, terá de ser editado um decreto legislativo para que os aposentados não sejam obrigados a devolver os valores já recebidos por conta do reajuste determinado pela  MP.

Pela convenção, há um rodízio na relatoria, embora a prerrogativa na designação do relator seja da presidência do Senado. Para o aumento de 7,72% para as aposentadorias da Previdência Social já havia um acordo entre os senadores, mas não se conhece a posição dos parlamentares em relação do fim do fator previdenciário. 

Se houver, por exemplo, alteração no percentual de aumento ou mudança nas normas para aposentadoria, como a retomada do fator previdenciário, a MP terá de voltar à Câmara para nova votação.



Escrito por A.Fonseca às 03:37
[] [envie esta mensagem] []


 
  
Campanhas Avaaz
Destaques para o movimento global de 3.3 milhões de pessoas, iniciado em Janeiro de 2007
Clique abaixo para ver um relatório das grandes campanhas da Avaaz! (Para saber mais sobre a Avaaz, clique aqui).

AQUECIMENTO GLOBAL | BIRMÂNIA | TIBETE | ZIMBÉBUE | CRISE ALIMENTAR | ISRAEL & PALESTINA | IRAQUE | E MUITO MAIS!

Impeça a catástrofe climática


O Ministro Britânico do Meio-Ambiente Hillary Benn dirige-se à entrega da petição da Avaaz- em frente à mídia mundial durante negociações climáticas da ONU em Bali.
 
A ameaça da catástrofe climática é uma das maiores preocupações dos membros da Avaaz -- e uma ação forte para combater o aquecimento global tem apoio de quase todos os países no mundo. Em janeiro 2007, muitos líderes ainda se recusavam a reconhecer a crise climática – assim a Avaaz lançou nos quatro continentes um anúncio de TV “desperte para o problema climático”, lançando uma campanha a longo prazo para criar um tratado forte, sucessor do protocolo de Kyoto. Desde então, a Avaaz tem entregue milhões de assinaturas na petição climática aos principais líderes globais, incluindo Ministros do Meio-Ambiente de todos os países do G8, membros do Congresso dos Estados Unidos, líderes no Brasil e Alemanha, e também junto com parceiros, ao Primeiro Ministro japonês Yasuo Fukuda antes do encontro do G8 em Hokkaido esse ano.
 
 
Asahi Shimbun, o segundo maior Jornal do Japão, relata que o anúncio da Avaaz ajudou a mudar a política Japão em relação ao aquecimento global.  
As petições dos membros da Avaaz também foram estendidas por grandes campanhas de mídia, incluindo um anúncio de página inteira no Jakarta Post, no auge das negociações da ONU em Bali 2007. Este anúncio foi citado na reunião japonesa que levou o Japão a adotar metas a médio prazo para a redução da emissão de carbono: de acordo com o jornal Asahi Shimbun, o Ministro do Meio-Ambiente ergueu o anúncio e perguntou ao Primeiro Ministro, “será que estamos deixando o mundo nos ver como o país que barrou as metas de 2020?”

A posição do Canadá nas negociações de Bali também demandou uma resposta similar, com uma campanha em anúncio por todo o país em dezembro de 2007, assim como uma das maiores ações online da história canadense. Depois que o Primeiro Ministro Harper mudou de idéia, invertendo sua posição em relação ás metas de emissão, o líder de oposição Stephane Dion filmou uma mensagem à Avaaz exclamando que “os membros da Avaaz, reverteram a má política de um governo, isto é excelente… juntem-se Avaaz, porque funciona!
 
 
Anúncio de jornal da Avaaz do seminário G8 em Hokkaido 2008 reimpresso no Nikkei Business Daily.  
Avaaz continuou sua campanha contra o aquecimento global em 2008 com uma nova petição e um anúncio colorido de página inteira no Financial Time durante o encontro do G8 em Hokkaido, criticando o Canadá, Japão e Estados Unidos por não se comprometerem à metas para controle de emissão de carbono até 2020. O anúncio, uma sátira utilizando a personagem Hello Kitty, foi notícia no New York Times, Canadian Broadcasting Corporation, Nikkei Business Daily, e em outras fontes ao redor do mundo.


Escrito por A.Fonseca às 15:31
[] [envie esta mensagem] []


 
  
Terça-Feira, 04 de maio de 2010
Crise econômica altera perfil das exportações

A crise econômica global registrada no fim de 2008, que impactou com mais força outros países do mundo, devido aos problemas por conta da questão de bancos pedindo concordata e países de olho no aumento de suas dívidas, e preocupação este que se estendeu até o começo e meio do ano passado, em várias regiões do mundo, inclusive no mercado brasileiro promoveu uma importante alteração na composição de produtos e dos destinos da produção exportada na Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Segundo apuraram especialistas em balança comercial e economistas de plantão, ocorreu uma ênfase maior de exportar para países vizinhos. Isso fez com que aumentasse o percentual de participação da Argentina como demandante de produtos da região e provocou também ascensão do mercado mexicano como destino de produtos da RMC.

Esse crescimento surgiu em função da queda de destinos como os Estados Unidos e Venezuela. A região agora está se inserindo no exterior vendendo automóvel pronto e autopeças. A avaliação é do professor Adauto Roberto Ribeiro diretor do departamento de economia da Pontifícia Universidade Católica (PUC Campinas) e coordenador do boletim econômico da PUC Campinas – Acompanhamento do Comércio Exterior da RMC.

“Eu acho que a dinâmica da produção interna está se recuperando ao nível pré-crise, recuperando também a importação que volta a níveis cada vez mais crescentes e a questão do câmbio valorizado ajuda a importar mais. No caso da exportação, a recuperação das economias externas está demandando produtos para a região, então a exportação está voltando ao patamar pré-crise.”

Pesquisa

A pesquisa mostra que o mês de março registrou um crescimento de 18% na exportação de bens em relação a fevereiro e um aumento de 25,4% na importação de bens. Os dados revelam que houve um crescimento de 12.6% nas exportações na comparação com março do ano anterior e de 40,2% nas importações na mesma base de comparação.

No acumulado do ano, de janeiro a março, a exportação cresceu 12,7% e a importação 19,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Em três meses a movimentação da exportação chega a US$ 1,06 bilhão e a importação US$ 2.38 bilhões gerando um déficit na balança comercial da ordem de US$ 1,31 bilhão.

Municípios

O maior município exportador da RMC é Campinas, que movimentou no primeiro trimestre deste ano US$ 226,9 milhões, 4,2% superior ao que foi movimentado no mesmo período do ano passado que ficou em US$ 217,7 milhões.

Em segundo lugar vem o município de Indaiatuba no qual o valor das operações de exportação chega a US$ 172,9 milhões de janeiro a março deste ano, um crescimento significativo de 64,6% em relação a 2009 quando foram movimentados US$ 105 milhões.

A cidade de Sumaré aparece em terceiro no ranking com uma movimentação exportadora no primeiro trimestre deste ano da ordem de US$ 149.9 milhões, um crescimento de 10% em relação ao ano passado que foi de US$ 136,2 milhões.

Paulínia vem em quarto lugar com US$ 137,72 milhões, com um crescimento de 37% em relação ao registrado no ano passado que foi de US$ 100,2 milhões. O Município de Jaguariúna apresentou uma queda de 48,5% em relação ao movimento exportador do período de janeiro a março do ano passado. No primeiro trimestre de 2009 havia sido de US$ 161,8 milhões e em 2010 ficou em US$ 83,4 milhões.

Movimentação

Para o professor Adauto Ribeiro essa movimentação coloca em evidência a alteração de produtos exportados. “A localização de duas plantas da indústria automotiva na região tem feito inclusive que Indaiatuba que oscilava entre a quarta e quinta colocação em exportação passasse para segundo lugar e Jaguariúna que estava em primeiro lugar há 2 anos atrás passasse agora para quinto lugar. Uma queda forte da exportação de eletroeletrônico em Jaguariúna e uma ascensão de Indaiatuba e Sumaré em exportação de automóveis e autopeças”, avalia ele.  

O economista e professor da PUC-Campinas, Adauto Ribeiro, disse que essa mudança é interessante para a região, pois o carro tem maior valor agregado e muitos componentes do veículo são feitos aqui, ao contrário do celular no qual poucos componentes são feitos aqui contando com uma carga de importados da ordem de 80%, enquanto o carro tem componentes importados da ordem de 40%.

“A indústria automotiva gera uma dinâmica de autopeças, de produtos agregados, de emprego e de renda melhor do que a indústria eletroeletrônica, especificamente celular”, diz. (Fonte)

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística


Escrito por A.Fonseca às 15:16
[] [envie esta mensagem] []


 
  
Terça-Feira, 04 de maio de 2010
Pacote da exportação cria Eximbank e muda Simples

O governo pretende anunciar amanhã um pacote de incentivo às exportações, cujo desempenho tem preocupado economistas e empresários. O conjunto de medidas, que estava sendo finalizado ontem pelos técnicos do Ministério da Fazenda, deve incluir a redução do prazo de devolução de créditos de PIS-Cofins, um sistema de incentivo às empresas inscritas no Simples e a criação de um banco para financiar exportações, o Eximbank, discutida há mais de 20 anos.

O pacote, que vem sendo negociado há cinco meses entre os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Desenvolvimento, Miguel Jorge, aguarda apenas o aval do presidente Lula. O governo queria anunciá-lo no mês passado, mas houve divergências entre Mantega e Jorge. A preocupação era evitar gastos excessivos com incentivos. Uma das medidas será a redução do prazo para devolução de créditos de PIS-Cofins acumulados pelos exportadores. Hoje, esse prazo chega a até cinco anos. O novo limite deverá ficar entre 45 e 90 dias.

Haverá ainda um novo drawback para as empresas. À medida que fecharem as operações de exportação, as companhias passarão a adquirir a isenção de impostos na importação de insumos. Esse mecanismo de compensação, no entanto, deve se limitar às empresas com ligação eletrônica estabelecida com a Secretaria da Receita Federal.

O pacote deverá ampliar o número de empresas autorizadas a operar a "linha azul", sistema de procedimentos simplificados de importação e exportação, atualmente restrito a grandes empresas.

Haverá ainda o reenquadramento das micro e pequenas empresas inscritas no Simples para incentivá-las a exportar. Hoje, essas empresas, cuja receita máxima anual está limitada a R$ 1,2 milhão, não têm estímulos para crescer, já que ao exportar mais também podem ter de pagar mais impostos ao perder os benefícios da lei. No novo pacote, as receitas que superem esse limite, obtidas com vendas ao exterior, não serão contabilizadas para enquadramento no Simples.

O Eximbank, cuja criação vem sendo discutida há alguns anos, terá sede no Rio ou em Brasília.

O tema das exportações é bastante sensível, tanto pelo crescimento da economia quanto do ponto de vista das contas externas. Até abril, o saldo do comércio exterior estava positivo em US$ 2,175 bilhões, bastante inferior aos US$ 6,681 bilhões registrados no mesmo período de 2009. O recuo do saldo tem impacto negativo nas transações em contas correntes, deficitárias no ano e com expectativa de acumular resultado negativo de US$ 49 bilhões neste ano, segundo o Banco Central. (Fonte)

Postado por: NewsComex - Comércio Exterior e Logística


Escrito por A.Fonseca às 13:47
[] [envie esta mensagem] []


 
  

LULA – O HOMEM MAIS INFLUENTE DO MUNDO –  E AGORA?

 

A pergunta vai para todos aqueles que achavam LULA; despreparado, analfabeto, burro, irresponsável, bêbado, etc. Vai para a grande mídia do Sudeste, para O PSDB/DEM. Mas principalmente para a Revista VEJA. O que esta revista semanal tem feito para desmoralizar e desestabilizar o governo LULA nunca foi visto no mundo, e agora é com a futura candidata Dilma, nem mesmo o mais elementar direito de preservação tem sido levado em conta. A campanha de difamação ultrapassa os limites da insanidade.

Quem viaja pelo mundo já sabia dessa informação desde o ano passado, o reconhecimento e respeito ao nosso presidente é visível na Europa, Ásia, África e Oceania e principalmente nos E.U.A. Agora a Revista mais importante do mundo se posiciona e definitivamente todo o mundo reconhece o grande trabalho de transformação que  LULA fez no Brasil. Ainda falta muito, mas o que foi feito e nossa mídia insiste em desmoralizar e desconhecer, o mundo reverencia.

LULA É O CARA! Fato consumado deixou o próprio Barack Obama em 4º lugar na lista de pessoas mais influentes do mundo. Como e qual será o posicionamento do Sistema Globo de Comunicações diante desta noticia? E Serra? . O Sistema Globo que tudo que vem dos EUA para ela é sagrado vai ter que engolir o METALURGICO.  Se a revista de maior circulação no mundo com todo seu potencial coloca LULA no topo da lista de pessoas mais influentes do mundo, qual será o viés dos críticos ao lerem a noticia? Para este reconhecimento foi levado em conta principalmente a Política externa do Governo LULA.

O NORDESTINO calou a boca do mundo.



Escrito por A.Fonseca às 12:48
[] [envie esta mensagem] []


 
  

A PESTE DO SÉCULO 21.

Por: Adanilton Fonseca Santos (*)

 

Três tiros, o silêncio, lágrimas, dor e outra vez o silêncio. A seguir, o telefonema, a policia, as algemas. O filho, esta morto aos 19 anos e a mãe condenada, ela acabara de matar seu único filho.

O retrato acima não faz parte de nenhum roteiro do cinema americano, aconteceu no Rio Grande do Sul em uma família de classe alta com um padrão muito acima da média do Brasil. A última alternativa da mãe foi matar o próprio filho, na guerra contra o CRACK.

Barata de fácil acesso, ofertada em todas as esquinas do Brasil, o CRACK é a maior tragédia da vida moderna. Essa droga faz um caminho inverso das demais, ela surge no interior e avança nos grandes centros com uma velocidade impressionante. Não há divisões de classes, cor ou credo, todos estão sujeitos a ter em suas famílias a vista “indesejada” da Peste do Século 21.

O crack deriva da planta de coca, é resultante da mistura de cocaína, bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada, resultando em grãos que são fumados em cachimbos. O surgimento do crack se deu no início da década de 80, o consumo do crack é maior que o da cocaína, pois é mais barato e seus efeitos duram menos. Por ser estimulante, ocasiona dependência física e, posteriormente, a morte por sua terrível ação sobre o sistema nervoso central e cardíaco.

Devido à sua ação sobre o sistema nervoso central, o crack gera aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, dilatação das pupilas, suor intenso, tremores, excitação, maior aptidão física e mental. Os efeitos psicológicos são euforia, sensação de poder e aumento da auto-estima. A dependência se constitui em pouco tempo no organismo. Se inalado junto com o álcool, o crack aumenta o ritmo cardíaco e a pressão arterial o que pode levar a resultados letais.

Com todos estes males, o crack tem um consumo avassalador; crianças, jovens, homens, mulheres, todos consomem a droga com uma velocidade fora do comum. Vendem tudo, ate a própria dignidade para conseguir a droga. Perdem todos os valore morais, não existe amor de mãe, pai, irmãos, amigos, etc.,  a droga ocupa todos os espaços. Nem mesmo a maternidade é preservada, a mãe dependente pouco ou nenhum valor dar ao filho que gera, é algo terrível.

Se não tomarmos providencias essa PRAGA pode bater em nossas portas. Nada é mais terrível do que a mãe tirar a vida do próprio filho., não existe resistência física que suporte tamanha dor. São dois caixões, um baixa a sepultura e outro vai ficar um morto vivo.

O que estamos fazendo para coibir ou frear o avanço deste PESTE? Vamos esperar para enterrar nossos filhos, sobrinhos, netos, amigos, irmãos, pai, mãe ou vamos partir para a luta e cobrar a quem de direito uma atitude seria e eficaz contra o mal do século 21?

 

(*) Consultor, Professor, Pai, Amigo, irmão



Escrito por A.Fonseca às 12:25
[] [envie esta mensagem] []


 
  

DEUS

 Até que ponto você acredita em DEUS?

   A questão não se prende a conceitos biblicos e ou interesses religiosos, mas a uma discussão do que você define como Deus.

 

 



Escrito por A.Fonseca às 21:46
[] [envie esta mensagem] []


 
  

Comercio Exterior Brasileiro.

Acreditamos que o Comex, no Brasil passa por uma carencia muito grande de atitudes, comportamentos, ética e credibilidade. A expêriencia que viviemos nos pultimos dias nos capacita a escrever sobre o tema. Para minha surpresa durante negociação de Commodites de açucar, um cliente em potencial apresentou-me nada mais, nada menos que 88 (oitenta e oito) Contratos Assinados de Empresas, Pessoas físicas e Traderes sem ter embarcado a referida commodite. Qual não foi a minha surpresa ao analisar o conteúdo e encontrar todo processo montando até a assinatura do DC (Draft Contract), em função deste absurdo o cidadão veio mais uma vez ao Brasil - já veio 09 vezes - tentar encontrar um grupo sério e capaz de cumprir um único contrato.

O amadorismo e a falta de seriedade no Comex,  pode trazer sérias dificuldades para o Brasil. Esses absurdos são levados como regra geral e não como excessões ( 88 casos???) alem fronteiras e mais uma vez a imagem do brasileiro é relacionada a um povo sem palavras e sem profissionalismo. Devemos lembrar que este tipo de questão sendo levado a Câmera de Comercio Internacional(ICC), o País pode sofrer dificuldades na OMC. Temos buscado parcerias com profissionais e empresas interessadas em "limpar" o comex desse tipo de gente. Não nos furtaremos a formular denuncias junto a ICC com a finalidade colocar essa gente na Black List.

A seriedade deve ser um ponto constante a ser alcançado por todos que militam no COMEX. Devemos lembrar que nosso comportamento empresarial neste campo representa a cara do Brasil para o mundo.

 

A. Fonseca

Presdiente da FMMR EXPORT BRASIL LTDA.

 



Escrito por A.Fonseca às 21:26
[] [envie esta mensagem] []


 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
Meu perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, PARALELA, Homem


HISTÓRICO



OUTROS SITES
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Receita Federal
 MEC
 Sebrae
 OCB
 Banco Do Brasil
 NEWSCOMEX


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!